HOME > DESTAQUES > Japonês de 112 anos se torna o homem mais velho do mundo
Japonês de 112 anos se torna o homem mais velho do mundo

Japonês de 112 anos se torna o homem mais velho do mundo

Nascido meses antes de o físico Albert Einstein publicar sua teoria da relatividade, um japonês de 112 anos foi reconhecido nesta terça-feira (10) como o homem mais velho do mundo. Masazo Nonaka recebeu o título depois que o espanhol Francisco Nunez Olivera morreu este ano aos 113 anos, confirmou o Guinness World Records, entidade que monitora e confirma os recordes mundiais.

Nonaka nasceu em 25 de julho de 1905, o que o deixa com 112 anos e 259 dias de vida. Agricultor e lenhador na juventude, o japonês administrou uma pousada de fonte termal na sua cidade natal, na ilha de Hokkaido, a 900 quilômetros ao norte de Tóquio, até passar o controle do estabelecimento aos herdeiros. Criou dois filhos e três filhas. Uma de suas netas, Yuko é hoje responsável pelo negócio.

O agora homem mais velho do mundo diz que gosta de mergulhar em um spa e que adora doces, especialmente bolo de morango. Ele recebeu a companhia de parentes e funcionários na cerimônia de reconhecimento do recorde, nesta terça-feira, em Ashoro.

“Delicioso”, vibrou o japonês ao provar o bolo de comemoração do feito, segundo a rede NHK.

O recordista viu os sete irmãos morrerem, bem como sua mulher e dois de seus cinco filhos. Ele ainda se move sozinho, com a ajuda de uma cadeira de rodas, segundo a família.

Ainda assim, Nonaka não é o cidadão japonês mais velho. Nabi Tajima tem 117 anos e deve receber o título de pessoa mais velha do mundo após a morte da jamaicana Violet Moss-Brown, também de 117 anos, em setembro do ano passado.

O título mundial para o homem que mais viveu pertence a outro japonês, Jiroemon Kimura, que morreu em 2013 aos 116 anos e 54 dias. A maior idade reportada para um humano, mas não confirmada, é de 122 anos e 164 dias. A francesa Jeanne Louise Calment morreu em 1997 sem a chancela de seu possível recorde.

 

Fonte: Extra / Foto: Kyodo / Reuters

Comente

Seu email não será exibido. Required fields are marked *

*

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Ir para o topo da página