HOME > DESTAQUES > Veículos registrados no Brasil terão de trocar suas placas para seguir o padrão Mercosul
Veículos registrados no Brasil terão de trocar suas placas para seguir o padrão Mercosul

Veículos registrados no Brasil terão de trocar suas placas para seguir o padrão Mercosul

O prazo para as placas de veículos adotarem o padrão dos países do Mercosul vai começar daqui a seis meses, em 1º de setembro de 2018.
Primeiro, a nova placa deverá ser usada nos modelos zero quilômetro, veículos que passarem por processo de transferência de município ou propriedade, ou quando houver a necessidade de substituição das placas. Os veículos usados terão até 31 de dezembro de 2023 para mudar.

A nova placa vai ter uma tarja azul, bandeira do Brasil e outra configuração de letras e números. Além disso, contará com um chip e um código para facilitar a identificação dos veículos roubados ou clonados nos países do Mercosul.

De acordo com o Denatran (Departamento Nacional de Trânsito), fica facultativo ao proprietário antecipar a substituição da placa.

Adiada duas vezes

Apresentada em 2014, a nova placa deveria ter começado a ser adotada no Brasil em janeiro de 2016, mas foi adiada duas vezes: primeiro para 2017 e, depois, sem prazo específico.

Argentina e Uruguai já começaram a usar.

O que muda

1) Mais letras e menos números: Em vez de 3 letras e 4 números, como é hoje, as novas placas terão 4 letras e 3 números, e poderão estar embaralhados, assim como na Europa.

2) Novas cores: A cor do fundo das placas será sempre branca. O que varia, é a cor da fonte. Para veículos de passeio, cor preta, para veículos comerciais, vermelha, carros oficiais, azul, em teste, verde, diplomáticos, dourado e de colecionadores, prateado.

3) Estado e cidade com nome e brasão: O nome do país estará na parte superior da patente, sobre uma barra azul. Nome da cidade e do Estado estarão na lateral direita, acompanhados dos respectivos brasões.

4) Tamanho: A placa terá as mesmas medidas das já utilizadas no Brasil (40 cm de comprimento por 13 cm de largura).

5) Contra falsificações: Marcas d’água com o nome do país e do Mercosul estarão grafadas na diagonal ao longo das placas, com o objetivo de dificultar falsificações. No Brasil, a placa terá uma tira holográfica do lado esquerdo e um código bidimensional que conterá a identificação do fabricante, a data de fabricação e o número serial da placa. A tira é uma maneira de evitar falsificação.

6) Preço e quem terá que trocar: O modelo será adotado primeiro para novos emplacamentos. De acordo com o Denatran, a nova resolução padroniza a produção das placas nacionalmente, o que pode diminuir seu custo.

Atualmente, os preços das placas variam de Estado para Estado. Em São Paulo, o par de placas sai por R$ 128,68, por exemplo, enquanto no Paraná o valor é de R$ 128,49.

Além disso, existem as taxas de vistoria e licenciamento que são definidas pelo Detran (Departamento de Trânsito) de cada Estado.

 

Fonte: O Sul / Foto:  Divulgação/Rodrigo Nunes/Ministério das Cidades

Comente

Seu email não será exibido. Required fields are marked *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Ir para o topo da página